Sobre os taxistas em Santiago do Chile


Eu sei que isso pode acontecer e acontece em qualquer lugar do mundo, mas comigo aconteceu em Santiago, por isso fica o alerta. Seja no Chile, ou em qualquer país, precisamos abrir o olho.


Eu já sabia mais ou menos quanto daria o táxi porque já havia ido e voltado outro dia de táxi do local, quando jantamos no restaurante Vista Santiago, no cerro San Cristóbal. Esse taxista subiu o Cerro até o restaurante e era noite,  e o total foi pouco mais $5 mil pesos.

Estávamos no cerro San Cristóbal, almoçando no mesmo restaurante, quando pegamos um táxi perto do teleférico. Já havíamos descido o cerro, era dia, não havia trânsito, então sabia que não poderia dar um valor mais alto que isso. 

O taxista mostrou o taxímetro, para mostrar que estava no valor correto que começava. Ok! Só que mal andamos uns metros, vi que já estava em $1.700. Achei estranho, mas achei que havia olhado errado, já que o taxímetro não ficava no alto, e sim, largado no console central.

Pouco mais da metade do caminho, fui para frente para olhar bem o valor e já estava em mais de 8 mil pesos!!!! Questionei o motorista, que disse que era assim, que aquele dia era feriado e bandeira 2. Eu perguntei se sábado a tarde era banderia 2 e ele disse que sim. Aí perguntei: mas que bandeira 2 é essa, que é muito superior ao dobro do preço? Ele deu uma desculpa qualquer e concordei. Não ia ficar discutindo sem saber as regras locais. 

Quando chegamos ao hotel Novapark, o taxímetro marcava quase 14 mil pesos. 




Disse ao motorista que teríamos que ir no quarto para buscar mais dinheiro para pagar, pois não esperava um valor tão alto. Ele ainda me disse: mas vai rápido que preciso ir buscar outro passageiro.

Desci e me dirigi à recepção do hotel. Contei o ocorrido, do valor cobrado e a recepcionista me disse: isso é um golpe, não pague! Eles alteram o taxímetro pois acham que as pessoas não sabem quanto será o valor do táxi. Só que eu já havia feito aquele trajeto e sabia muito bem quanto daria.

Nisso já veio o segurança do hotel, ficou sabendo da história, foi lá tirar foto da placa do táxi, que ainda estava me aguardando pagar, embora já tivesse arrancado várias vezes fazendo menção de ir. O segurança disse que eu não deveria pagar, embora eu tenha dito que pagaria um valor justo, já que ele havia feito a corrida. Ele disse para eu não ir na rua, que iria chamar os carabineiros ( polícia ) mas que dificilmente ele seria multado, porque eles fogem quando percebem a demora do passageiro ou a proximidade da polícia. 

Algum tempo depois, ele se foi. Se o segurança chamou ou não ou carabineiros, nem sei dizer. Subi ao meu quarto e fiquei pensando se deveria ter pago ao menos o preço justo. Mas quer saber, não vou ficar me sentindo culpada de ter usado o serviço "de graça". Que sirva de lição a esse motorista, ou ele cobra o preço justo, ou pode ficar sem nada. 

Acho que o mais importante de tudo foi que mantive a calma, não fiquei discordando, pois sabe-se lá o que poderia ter acontecido. Quem me conhece sabe como sou esquentada. Mas nessas situações, estamos em desvantagem. Melhor concordar e se livrar da situação da maneira mais cordata possível, e de preferência, sem tomar o prejuízo hahaha.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog