Acapulco

Fazia muito tempo que eu queria conhecer Acapulco. Na verdade, acho que foi o primeiro lugar na vida que desejei conhecer. Como toda criança, eu era fã do Chaves, e adorava os episódios de Acapulco. Ainda com 5 anos, já sonhava em brincar nas areias daquelas praias...muitos anos se passaram e surgiu a ideia de ir ao México. Na verdade, meu marido queria ir ao Peru, mas naquele ano completamos 5 anos de casados, então achei que merecia um lugar mais paraíso tipo Cancún e tal. Como o México reune praias do Pacífico, com ondas maravilhosas e praias do Caribe, com areia branquinha e clima de lua-de-mel, optamos por ir para lá.
 
Bom, mas voltando a Acapulco...é uma cidade grande, com trânsito caótico, muitos hotéis de marcas internacionais. Dá para ver que há muitos endinheirados na cidade. Por todo lado circulam carrões de luxo. A cidade é linda, entre penhascos e desfiladeiros, você tem uma vista maravilhosa de diversos pontos.
 
Muitas construções de luxo por toda cidade...
 
 


a avenida principal
 
Há uma Acapulco moderna, cheia de construções novas e luxuosas, mas ficamos na parte mais antiga ( e barata ), na linda baía de Caleta. O hotel, pé na areia, numa praia de águas calmas e fundas, perfeita para nadar.
 
 
vista do nosso quarto
 
 
Fizemos passeios pelas cidade, conhecemos as outras praias...são bonitas, mas o forte está na agitada vida urbana e noturna da cidade. Ficamos apenas 2 noites aqui, não deu para conhecer muita coisa, mas foi só para não deixar de fora um antigo desejo. Aqui tem muitas opções de compras, com marcas famosas, mas tudo é caro,  e comprar não é nosso objetivo. Mas tenha cuidado ao andar pela cidade, principalmente à noite. As estatísticas apontam que é uma região com alto índice de assaltos e homicídios. Nada de mais para quem é brasileiro e convive com isso. Não vi nada de mais, só muita polícia pela cidade.
 
uma das praia mais centrais ( não lembro o nome...)
 
 
 
 
 
 
Mas há um programa obrigatório para quem vem para cá: La Quebrada. Os clavistas, meninos que saltam do alto de um penhasco numa fenda entre as montanhas e caem no mar, são a atração. É inacreditável, tanto pela altura quanto pela pouca distância entre as montanhas que formam o penhasco.

eles saltam de mais alto que aquelas grutinhas, no canto direito acima na foto
 

Se preparando para o mortal...
 
Nos disseram que a entrada é paga, mas na verdade, você vai dar o quanto quiser e, se quiser, aos corajosos meninos. Chegue cedo para pegar um bom lugar e desfrutar o maravilhoso pôr-do-sol.
 
 
 
 
Nossa saída da cidade foi meio traumática. Estava eu, fotografando os fuscas ( sim, apesar de muito rica e moderna, a frota de táxis-fusca é imensa, atração da cidade ), quando a polícia nos pára. Disse que não paramos para um pedestre atravessar. Que mentira!!! Não havia nenhum pedestre. Mas não adianta discutir com polícia quando você é estrangeiro. Quando o policial viu que eu era loira, pensou que fosse gringa. Perguntei a ele qual o problema e ele perguntou se falávamos espanhol: "sim". Esse foi o azar dele. Começamos a argumentar, fiz meu showzinho de chorar e passar mal. Mas ele não se comoveu. Mandou eu me acalmar. Ele queria 1.000 pesos para nos liberar. Como estávamos indo para Cidade do México, dissemos que não tínhamos mais dinheiro, que nosso voo de retorno era naquele dia. Ele começou a se irritar e não queria nos liberar por menos que isso. Meu marido soltou um: "então me leva preso". O policial disse que não era para tanto e como viu que não iria arrancar mais grana dos pobres brasileiros, aceitou nossa proposta de 250 pesos. Tiramos quase tudo que havia na carteira. Como já tinham nos avisado desse golpe na saída de Acapulco, escondemos todo dinheiro numa meia dentro da mala. Dizem que eles chegam a revistar a carteira dos gringos que não falam espanhol e tiram deles até 2mil pesos. Odeio polícia corrupta de país de 3o mundo!!!
 
fotinho um pouco antes da polícia...
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O que você precisa saber antes de ir para o México

Kefalônia