Kuta: onde quase tudo acontece

Nosso primeiro destino: Kuta. Tem um centrinho na Jalan ( rua ) Legian, com muitos restaurantes, lojas  ( principalmente surf wear que adoro e a preços módicos se compararmos aos praticados no Brasil) e boates. Há um memorial em homenagem a uma boate que explodiu em um atentado em 2002.

A praia, Kuta Beach, não tem altas ondas como na região do Bukit ( sudoeste da ilha ), dá até para aprender a surfar ali.

 O povo parece ser muito feliz, está sempre sorrindo e falando “hellooooouuuu” o tempo todo.  Ficam nos ensinando palavras básicas, como: bom dia, boa tarde e boa noite. Só ficam chatos quando querem vender algo. Se você não está interessado em comprar, nem pergunte o preço. E se quer comprar, nunca pague o preço que o vendedor deu. Eles amam a arte da barganha. Então, pechinche muito. Cheguei a comprar um relógio cujo valor inicial era 100mil rúpias ( uns U$ 10) por 20mil rúpias. Mas em geral, se consegue metade do valor inicial. Na realidade, acho que eu gosto de barganhar mais que qualquer pessoa kkkkk.
 O trânsito é caótico. Há muitas motos, e estão sempre buzinando. Parece não  haver muitas regras de trânsito. Se uma rua é contramão, basta ir por cima da calçada. Se há pedestres, dale buzina para eles saírem da frente. Simples assim!!!  
memorial
 
 

Quanto à comida, eu adoro pimenta, então foi relativamente fácil acostumar com a culinária indonésia. O maior problema é que quase tudo é frito. Até o macarrão. Tudo é uma delícia, mas depois de alguns dias comendo fritura no café-da-manhã, almoço e janta, meu estômago pediu um descanso. Os pratos raramente tem carne vermelha. Quando queríamos uma carne com bons preços, íamos ao Mc Donald’s. Aliás, Mc Donald's era o mais perto de "comida parecida com Brasileira" que havia. Tá certo, tinha um restaurante de um brazuca no Bukit...
O mais difícil de acostumar é com o inglês deles, que é no mínimo, bizarro. Mas nada que a gentiliza balinesa não de um jeitinho. Com o passar dos dias, você vai acostumando ao inglês deles, e começa a falar que nem eles. Dai começa outro problema...

Comentários

  1. Não gosto quando viajo e ficam me falando Hellooo...eu respondo sempro em português "Hello é o ca..."hehehe...Trauma de chinês, que sempre fala Hello pra tentar te vender alguma coisa por preços absurdos ainda mais se descobrem que tu fala chinês ou inglês. Beijos. Carol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, na realidade, sempre tinha ou segunda intenção...mas nessa parte da viagem ou ainda estava levando tudo na boa...depois começou a ficar chato mesmo. Bjs.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O que você precisa saber antes de ir para o México

Kefalônia